Nesse espaço

Textos psicografados, romance, Umbanda, Espiritismo compõem a tônica do A Alma das Coisas.
By
Annapon ( escritora e blogueira )

Romance Mediúnico

A Missão das Quatro Estações

Olá amigos leitores do "A Alma das Coisas"! O blog está com uma novidade, romance mediúnico totalmente gratuito. Esse é mai...

sábado, 9 de janeiro de 2016

Laroyê Exu! Exu, é Mojubá!




Não vamos chover no molhado para falar de Exu.
Terror dos mal informados, Exu trabalha e não se importa com as bobagens ditas sobre ele na Terra.
Existe um Orixá Exu maior, comandante de todos os Exus trabalhadores na face da Terra e fora dela, pois, este é um pequeno mundo, mundinho mesmo. Muito além existe mais vida, mais formas, comunicações, etc e tal.
Dizer que Exu é Lei, energia que dá vigor, que concede a abertura dos caminhos dos viventes é enxergá-lo com miopia. Com uma boa lente se poderá ver melhor e, com uma lupa, ainda mais e assim vai. 
Cabeça aberta e olhos atentos, assim se pode ver mais e além.
Pelos becos e vales astrais, Exu comanda seu exercito pronto a resgatar o que se encontra já sem forças. Estende sua mão amiga e o encaminha para vales melhores onde, se quiser, encontrará a cura e seus caminhos, por si só, se abrirão a sua frente como um leque de possibilidades.
Exu não está a serviço do homem, ele está a serviço do Criador e responde ao mestre dessa humanidade terrena, Jesus.
Sua tão famosa gargalhada não ri de nada, apenas ajusta e prepara o "terreno" à sua manifestação, gargalhada mesmo ele dá quando ouve sujeitos mimados usando seu nome, se valendo de sua força para ameaçar, amedrontar os outros.
Pobres sujeitos, mal sabem que agindo assim simplesmente denigrem a própria imagem, pois a Exu a imagem não importa, o que importa e vale é só trabalho, disciplina, concentração, amor e fé no coração.
Exu não pertence a nenhum ser encarnado, não é propriedade de médium nenhum. Ajuda sempre quando é convocado pela espiritualidade superior na hierarquia astral, seja na Lei de Umbanda ou não.
Exu caminha junto do homem comum, do trabalhador que sai cedo de seu lar a fim de ganhar seu sustento, acredite o sujeito ou não, mesmo porque Exu não precisa que acreditem nele, Exu não precisa de nada desse mundo, só ele sabe das suas necessidades, pois só ele responde pelo trabalho que faz diante da Lei Maior e do Pai Criador.
Exu não barganha, ele se levanta e simplesmente vai trabalhar, pois sua moeda não é daqui desta Terra, portanto, se tiver de pedir algo a Exu peça, mas pense bem antes, reveja valores, posturas, desejos e vontades, mesmo porque, caso seu pedido seja maldoso, Exu já virou a mesa com você junto e seu tiro pode sair pela culatra, cuidado.
É só nesse sentido que Exu é "perigoso", prá quem pensa que pode tudo, que a espiritualidade é sua serviçal, esse sim recebe da mão forte de Exu sua paga antes do raiar do próximo dia.
Médiuns medíocres creem que Exu assina embaixo de todas as suas trapalhadas e excessos, ledo engano. Exu não dorme e por isso mesmo gira em todas as direções captando todos os pensamentos, ações e reações de seus tutelados.
Exu dá muitas gargalhadas quando ouve médiuns melindrados ameaçando outros tantos incautos, é mais ou menos como uma criança medrosa e sem força que precisa ameaçar as outras a fim de se safar ou da piada ou da surra, nesse momento, a tal criança/médium medrosa lança mão: "Quem me cuida nunca dorme" e outra: "Cuidado, meu Exu vai te pegar".
Médiuns que não saíram do jardim de infância procedem assim e alguns se amedrontam mesmo, outros não estão nem ai e fazem muito bem de não darem ouvidos à ameaças infundadas, mesmo porque Exu não compactua com erros, nem tampouco serve à médiuns vaidosos 24 horas por dia, isso é um tremendo engano, uma ilusão absurda, sem tamanho!
Conheça Exu, só depois disso se habilite a servir de instrumento à sua manifestação que é sempre pelo bem, no bem e na Luz, muito embora alguns não consigam compreender isto.
Exu não se importa de não ser compreendido nem de ser usado como escudo, Exu só se importa com trabalho, com o que o fortaleça na Luz e na ascensão a planos mais altos e isto não é ganancia nem vaidade, antes sim é o fruto do trabalho honesto que todos podem colher por merecimento, por terem levado a cabo boas obras.
Exu não exige fantasias, não precisa de adereços para trabalhar, pouca coisa material já é suficiente, pois seu poder de intervenção é magia, força que ele mesmo traz pelo conhecimento que adquiriu seja de cura, proteção, quebra de ilusões também chamadas feitiços, portanto, seja vestido a caráter ou não, o médium sob sua influencia irá executar o trabalho ao qual foi convocado sempre pelo bem, todo e qualquer espírito que não trabalhe no bem e pelo bem não pode ser chamado de Exu, muito embora muitos o façam. Cabe apenas e tão somente a quem busca pela ajuda dessas entidades avaliar, mesmo porque existem muitos Joões e Josés, alguns bons, outros nem tanto e outros ainda cruéis, ou seja, se não comungamos com o mal, não podemos ser amigos coniventes do José cruel.
E assim é com Exu. 
Que fique claro: Exu, na Lei de Umbanda serve ao bem e não existe essa história de que ele faça o mal também.
Exu jamais ajuda um para prejudicar outro, Exu avalia a situação e, no mais das vezes, se não for pelo bem comum, não atua simplesmente, pois Exu respeita a coletividade, o livre arbítrio das pessoas, as Leis de ação/reação e outras tantas criadas pelo Pai Maior.
Não se iluda, Exu não protege quem se expõe por livre vontade, não comunga com ideais mesquinhos, com infantilidades, não beneficia a quem não se ajuda, não dá ouro a quem passa os dias sentado pensando na riqueza dos outros sem dar um passo em busca de trabalho que seja seu ganha pão, Exu não promove discórdias nem admite situações extremas de ciume, antes sim orienta sempre que excessos são cargas nocivas dispensáveis a qualquer um. Ele não faz trocas, exigências, não pede que se curvem aos seus pés nem tampouco que o bajulem, não incentiva derramamento de sangue animal.
Exu só trabalha, nada pede em troca que não seja fé, foco no caminho do bem de seus tutelados, estudo, clareza de ideais, pureza de coração, paciência com aqueles que ainda estão na retaguarda sem enxergar a Luz, conforto a quem sofre, pão a quem tem fome, trabalho digno dentro da Lei de Justiça, com muita verdade e boa disposição para servir.
Esses são os valores de Exu, isso é o que Exu quer em troca, um bom coração e honestidade nas lidas da vida.
Quer oferendar Exu? Oferende, seja simples, verdadeiro em suas intenções e certamente sua Luz amiga e sua mão forte o guiarão para o que seja melhor.
Não se exceda em mimos, lembre-se que Exu lhe vê por dentro e nada que venha de fora o conquista, por isso analise suas intenções antes de oferecer qualquer coisa.
Exu não alimenta caprichos, não dá ao que se julga esperto, não concede nenhuma ajuda a quem quer que seja que em seu intimo alimente a ganancia, a sede de poder. Ele não abre caminhos em estrada mal cuidada.
Exu fortalece o fraco, guia o cego de alma, incentiva o trabalho honesto, tira da lama o desesperado que já se arrependeu pelos maus passos, livra da bala perdida quando assim deve ser, aponta a via larga quando a gente quer entrar numa viela escura.
Exu ensina, é professor, amigo leal que nos diz sempre a verdade, é quem nos tira do marasmo, do lugar comum para que possamos alargar nossos horizontes na vida, ele nos inspira coragem, força para os embates sem jamais perdermos de vista a humildade e o dever de não fazermos aos outros aquilo que não queremos para nós.
Exu cura, alimenta, organiza, direciona, arrebenta as correntes das prisões mentais muitas vezes criadas por nós mesmos, ele nos dá a liberdade desde que estejamos prontos para recebe-la, desde que a liberdade não seja um mal ainda maior para nós.
Ele tem bom vocabulário, é educado, divertido para falar verdades, palavrões, gestos mal educados ou grosseiros são atributos de médiuns sem preparo e educação que não representam, de forma alguma, um Exu Guardião ou de qualquer outra categoria na escala da hierarquia da Lei Maior de Umbanda.
Se por um acaso você se consultar com um "Exu" e ele despejar em seus ouvidos palavras de baixo calão, saia de "fininho" e procure outra casa, ou ainda, faça melhor, caso confie no Dirigente dessa casa, leve até ele o caso, será um favor prestado.
Há muito a desmistificar acerca de Exu, o tempo se encarregará, enquanto isso ele segue trabalhando e nós, médiuns que buscamos a evolução pelas Leis do Amor e da fé, seguimos com eles, sempre agradecendo por sua amizade, pela intervenção oportuna, pelos tantos ensinamentos, pela força que nos inspira e pela Luz que nos abriga e aparta do mal tanto quanto conservemos saudável o nosso coração, o nosso pensamento, tanto quanto busquemos identificar os nossos erros sem apontar os deslizes dos outros.
Quanto mais trabalhamos na identificação de nós mesmos tentando corrigir nossos erros, buscando purificar nossos sentimentos, ações e reações, melhores médiuns seremos, mais condições daremos à espiritualidade para que nos "use" como instrumentos de suas vozes amigas e benfeitoras.
O auto conhecimento é o caminho para a cura, para a liberdade, é o que nos habilita a ajudar aos outros, é a transparência que os espíritos esperam de nós para que juntos e unidos pela fé e pela amizade, possamos seguir cumprindo a missão sublime e sagrada que o Pai nos confiou, por amor, por bondade e por sua infinita Misericórdia.
É isso que Exu quer em troca: trabalho, fé, humildade, serenidade, estudo, força, coragem, muito amor e paz em nossos corações, os materiais de trabalho são meros coadjuvantes, são importantes, são bem vindos, porém estão em segundo plano.

"Quando no céu a lua branca surgir e uma boa gargalhada você ouvir, não se assuste, não se espante, é só Exu se preparando para servir, girando o mundo, em todos os recantos onde haja aflição, injustiça e dor, lá estarei, lá estou, sou Gira Mundo, Guardião da Justiça de Xangô, Guardião a serviço do Criador e do Mestre dessa Terra, Nosso Senhor Jesus".

Annapon

Texto inspirado por Sr. Gira Mundo, meu pai, gratidão!

Laroyê Exu! Exu, é Mojubá!

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Para Erica



Tem gente que passa pela vida da gente sem jamais ir embora.
Essa é uma breve história sobre alguém que conheci na juventude.
Era só uma menina, franzina, risonha, desconfiada sempre. 
Usava uma enorme mochila presa às costas, desproporcional para seu tamanho, mas ela não se importava, perfumada e toda bela em sua infância, ela ia feliz e satisfeita, com a enorme mochila, rumo à escola.
Do portão de sua casa, eu e sua mãe, a observávamos e sempre riamos da situação da pequena menina que sustentava, tal gente grande, uma mochila enorme sem reclamar ou demonstrar desconforto, era engraçado, é claro!
Algumas noites passei ao seu lado e, nessas horas noturnas, ela gostava de ouvir estórias, li com satisfação, algumas para ela que nunca, jamais dormia, antes sim mais desperta ainda ficava por conta do interesse pela estória.
Essa menina gostava mesmo era de rir, aproveitar a vida, conhecer novos lugares e pessoas apesar da tenra idade.
Alguns natais passamos a rir muito de tudo e de todos, às vezes, sem motivo, começávamos a gargalhar, chorar de rir, tudo era motivo de riso ao seu lado. Bons tempos!
Posso dizer que a vi crescer, participei de alguns momentos importantes de sua vida.
Vi muito riso em seu rosto, vi lágrimas também, expressões de raiva, frustração, dor, mas tudo isso compõe a grande orquestra da vida de todos nós, porém, só participamos desses momentos da vida do outro caso seja alguém especial que nos convidou a fazer parte de todos esses instantes.
É muito bom ter alguém assim na vida da gente, alguém que conhecemos ainda criança e, ao longo dos anos, jamais se esquece da gente, isto é ouro, é prata, é joia de extremo valor para a alma, pedra rara que jamais perde o brilho.
Hoje vejo seu sorriso, sua alegria nas imagens da tela, porém, essas imagens sempre me remetem àquele tempo que se foi deixando na lembrança a alegria, o privilégio de poder recordar, isso é muito bom!
A menina franzina da imensa mochila, cresceu, se desenvolveu, enfrentou as dores da vida, mas, continua sorrindo lindamente e me querendo bem, eu sei.
Ter a certeza que alguém nos quer bem é muito especial, todos deveriam ter alguém que lhe quisesse bem apesar da distância física e do implacável tempo, todos!
A menina que conheci hoje cedeu lugar à mulher, à mãe, porém, em minha lembrança, continua sendo uma criança sorridente, alegre.
Lembro muito bem ainda como era fácil seu riso e como se encantavam seus olhos quando via algo belo. 
Nem tudo na vida são flores, mas, os momentos que vivi ao lado dela foram de puro encanto. Conservo minha lembrança nos bons momentos, nas horas de alegria e nas incontáveis gargalhadas.
Passeando por essas memórias, a gente se dá conta do quanto é importante a amizade pura, aquela que nada pede nem recebe, só se doa num compartilhar sincero, feliz simplesmente pelo fato de existir.
Os bens materiais que adquirimos ao longo da vida nada são diante dessas lembranças, pois os bens perecem, não riem, não nos amam, nem tampouco têm memória. Estão apenas ali, mudos, frios, testemunhando apenas uma parte de nossa história.
Valorizo muito a amizade mesmo demonstrando pouco, mesmo me distanciando por alguma razão, mas, como não creio que a distância modifique sentimentos, sigo vivendo querendo bem a minha maneira, mas, acredite, sinceramente sempre querendo bem aos que conquistaram meu coração e me deram o privilégio de participar de alguns bons momentos de suas vidas, é o caso dessa menina.
Ao escrever essas palavras, vejo ainda claramente a imagem de seu rosto sorridente, ouço sua voz quase sempre em tom alto atropelando a fala dos outros. A menina além de sorridente é falante!
Rimos sempre muito quando ela, a menina, disparava seu falatório!
E assim é a vida, hoje próximos, amanhã ninguém pode saber, por isso, quando a oportunidade de uma amizade aparecer, agarre sem medo de sofrer, pois tudo faz parte, mas, o que sobrevive é a boa lembrança dos momentos vividos mesmo que, às vezes, não sejam tão bons assim.
Amigos são para todas as horas, afinal, ter vivido para contar essa breve história, é sinal de que não me furtei à amizade nem tampouco a esqueci num canto qualquer da lembrança e do coração.
Algumas vezes não nos damos conta da importância do amigo de hoje que compartilha conosco seus minutos, algumas horas, só mais tarde, quando o tempo passar e a distância enfim tratar de separar o físico, é que vamos entender o valor daquela amizade e dos momentos de riso e dor passados juntos, lado a lado a confidenciar olhares, palavras e emoções.
Um brinde a todos os amigos e à menina da mochila grande que ainda sorri para mim na tela de minha memória e dança, qual bailarina, em meu coração!

Essa é prá você, Erica!
Com afeto,
Annapon



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog