Nesse espaço

Textos psicografados, romance, Umbanda, Espiritismo compõem a tônica do A Alma das Coisas.
By
Annapon ( escritora e blogueira )

Romance Mediúnico

A Missão das Quatro Estações

Olá amigos leitores do "A Alma das Coisas"! O blog está com uma novidade, romance mediúnico totalmente gratuito. Esse é mai...

domingo, 25 de dezembro de 2016

O "A Alma das Coisas" deseja aos amigos e leitores, um bom 2017




Olá amigos, irmãos de jornada!

Em abril de 2011 criei esse blog a fim de compartilhar bom conteúdo sobre as questões da alma.
Consegui, ao longo desses 05 anos de trabalho, reunir aqui, neste espaço, bons textos sobre espiritualidade sempre buscando autores e sites de credibilidade para que juntos possamos nos esclarecer acerca do Universo paralelo ao nosso e sobre como lidamos com nossa própria espiritualidade/mediunidade.
Sou Umbandista. Estive estudando/estagiando, durante 09 anos, numa casa Kardecista. Aprendi muito com o estudo da Doutrina e sigo no aprendizado que nunca cessa, sempre há algo novo a aprender e questões mal assimiladas a serem revistas, sempre.
O objetivo deste post é agradecer a todos pela companhia, sem vocês esse blog não existiria, portanto, a cada um agradeço de coração e desejo que o novo período de 365 dias que em breve chegará, seja um bom tempo para todos nós mesmo que tenhamos que lutar muito para nos mantermos num país com tantos problemas e desafios.
Que não nos falte fé, coragem, determinação. Que nossos protestos sejam lúcidos, equilibrados e principalmente não primem pela violência, seja verbal ou de qualquer outra forma, pois, isto, definitivamente, não nos levará a lugar algum.
Que a tecnologia, as redes sociais, sejam bem aproveitadas na promoção do bem e da paz e, toda vez que expressarmos a nossa opinião, tenhamos em mente que sempre haverá alguém pensando diferente, portanto, vamos nos respeitar, do contrário todo esse avanço tecnológico nos esmagará, sufocara. 
Espero, sinceramente, que o "A Alma das Coisas", tenha colaborado, de alguma forma, com o esclarecimento, com a paz e com o bem durante todos esses anos que está no ar, pois é este meu mais sincero objetivo.
Vamos seguir caminhando juntos! De minha parte, posso dizer que darei continuidade a esse trabalho sempre com muita alegria e satisfação, mesmo porque conto com todos vocês, leitores queridos, para realiza-lo.
Sintam-se a vontade para sugerir textos, sugiram nos comentários dos posts e conforme seja possível, atenderei aos pedidos.
Grata por mais esse ano de parceria e que venha 2017 com muitas bençãos, proteção e amparo a todos nós!
Aproveito a oportunidade para agradecer a todos os leitores das obras que psicografei, muito obrigada pelo carinho e confiança! Espero ter novidades em breve e seguir contando com o apoio de todos vocês!
Felicidades, saúde e sorte a todos nós!

Annapon

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Pomba Gira Dama da Noite (uma grata visita)





Nov/2016

Relato compartilhado com os irmãos da Casa do Vovô Benedito onde aconteceu o atendimento abaixo referido.


Ontem a noite, ao me deitar, passados mais ou menos cinco minutos, senti forte perfume em meu quarto. Cheguei a cheirar minhas mãos, pensando que, talvez, fosse o perfume do sabonete, mas, não era. O aroma impregnava o quarto inteiro. Apesar de forte o perfume era agradável.

Resolvi então, silenciar minha mente para entender o que na verdade estava acontecendo.

Vale lembrar que meu estado era de total vigília neste momento.
Ao me aquietar, vi uma flor branca, muito bela próxima ao meu rosto, depois da flor quem apareceu foi uma bela mulher, vestida de preto, cabelos muito bem penteados e claros que me disse o seguinte:
"Sou a Dama da Noite e estou aqui para agradecer a você e a Tranca Ruas pelo atendimento realizado em beneficio de um protegido meu".
Agradeci profundamente pela visita e a meu pai e mestre Tranca Ruas que me recomendou compartilhar essa história com vocês e lhes dizer as seguintes palavras:
" Todo médium comprometido com o bem dentro da Lei de Pemba, pode passar por uma experiencia como essa. A perseverança e a fé tudo alcançam. Tenham certeza que todos os Exus, Pombas Giras e Mirins, agradecem muito quando são bem orientados, acolhidos e acompanhados por outros guardiões Exus, seus tutelados.Muitas das vezes são induzidos a buscar tal atendimento dentro de outra realidade para que assim, tutor e tutelado possam novamente se aproximar e continuar seu trabalho nesta jornada. Salve a senhora Pomba Gira Dama da Noite, uma verdadeira guardiã da Luz". Tranca Ruas das Almas





Eventos como o ocorrido são muito especiais e gratificantes, portanto, esquece-los é bem difícil. Por conta dessa minha "dificuldade", é claro que passei o dia lembrando, buscando detalhes e fixação em minha memoria e vejam só o que aconteceu:

Num determinado momento do dia, quando estava bem distraída, ouvi a seguinte história narrada pela senhora Dama da Noite:





" Ardemos por várias vezes em nossas vidas; ardemos nas fogueiras e nas paixões. Por várias vidas erramos mais que acertamos e fomos privados da liberdade padecendo em carceres que não apenas aprisionavam nossos corpos, mas, principalmente, nossas almas. Numa dessas vidas de poucos acertos, padeci da morte em vida aprisionada. Nada fazia mais sentido, nem o dia, nem a noite, tampouco a mudança das estações fazia diferença, pois eu vivia a escuridão constante, porém, algo havia que me fazia lembrar que ainda existia em mim humanidade, não naquele corpo, mas na alma que dentro dele habitava, era o perfume que exalava uma certa flor que só se abria durante a noite. Da minuscula janela do carcere, eu podia, as vezes, ver a lua clareando a noite e no ar o doce, marcante perfume daquela flor que me fazia lembrar, de certa forma, que Deus ainda existia, que além daquela escuridão, algo de muito bom e belo ainda existia e assim eu me sentia um pouco humana. Um dia, livre daquele corpo, certamente eu visitaria o jardim e buscaria pela Dama da Noite que me fazia companhia e que não permitia que me esquecesse completamente de mim e de Deus".

Pomba Gira Dama da Noite

Annapon

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

O valor do amor ( Psicografia de Thays Cristina Bedene )




É com imenso prazer que apresento aos leitores do "A Alma das Coisas", o trabalho de psicografia de minha irmã de fé Thays Cristina Bedene!

Espero que gostem dessa comovente história e que possa servir, a todos nós, como boa reflexão!


Annapon

O valor do amor

Que Nosso Pai Jesus se faça presente através dessas humildes palavras que vou dizer.

Vivem em uma Era de modernidade em que tudo se tornou tão fácil, mas todos têm se esquecido do essencial para a vida, o amor!

Eu vivi em uma época que tudo era proibido, os amores, a diversão, e tínhamos de viver a modo de ser exemplo, eu fui uma pessoa de alta sociedade, tinha esposa , filhos, e naquela época mesmo, esqueci do amor e me deixei levar pela vaidade do dinheiro, das paixões fora do casamento, da jogatina, era o que me deixava feliz.

Não percebi quando minha esposa ficou doente, após seu desencarne, para mim não foi difícil colocar meus filhos sobre os cuidados de uma tutora. Mal me dei conta que ficaria velho, precisei de cuidados e fui deixado de lado, não compreendia porque aquilo acontecera comigo, pois aos meus olhos eu havia sido um marido dedicado, jamais deixara minha família passar necessidade, meus filhos tiveram tudo que foi possível lhes dar para a época em que vivíamos.

Já ao leito, doente, sem forças, sozinho, lembrava-me de minha esposa, seu sorriso sempre Radiante, sempre ao meu lado com seus vestidos impecáveis que causavam inveja àquelas outras senhoras, mas eu não soube valorizar, e noite após noite acabava nos braços de outra qualquer, nunca estava só, não percebia que as belas senhoritas que me acompanhavam eram apenas interessadas na minha riqueza e em meu nome. Certo dia uma delas chegou até mim, dizia esperar um filho meu, logo dei jeito de por fim nisso, minha esposa, minha família, jamais poderiam saber onde, com quem e como passava as noites. Minha desculpa era sempre o trabalho. Somente naquele momento, perto da morte, é que consegui enxergar todo sofrimento que havia causado a minha esposa e filhos. Assim que desencarnei fui parar num lugar que ninguém gostaria de ver, mas para um homem como fui, com Vícios e paixões só poderia mesmo estar ali.

Posso dizer que sofri. Perdi as contas de quantas décadas passei lá, e no auge do meu sofrimento, supliquei, fui atendido e levado a um hospital que vocês encarnados só verão aqui, fui muito bem tratado, todas as minhas dores foram curadas, e após minha recuperação, quis saber de minha família, queria o mais depressa possível pedir-lhes perdão. Foi então que mais uma vez fui surpreendido pela tristeza e por que não dizer solidão? Sim, apesar de todo Amparo espiritual que tinha, nenhum deles era-me familiar. Eu soube que minha família já estava em uma nova Encarnação, e eu mal sabia como funcionava essa nova vida, essa nova jornada,era tudo muito novo para mim. Com o passar do tempo, os irmãos que me socorreram iniciaram estudos comigo, passeávamos pela Colônia em que morávamos, era tudo muito lindo, às vezes me parecia sonho, irmãos vivendo sem guerras, sem dinheiro, sem vícios, tudo aquilo que conhecia e que me fez destruir minha família e a mim mesmo, não existia aqui.

Eu frequentava grupos, um de Estudo, um de ajuda aos que chegavam, e assim fui aprendendo e ficando cada vez mais envolvido com o plano Maior.

Decidi que gostaria de ajudar os encarnados que assim como eu sofriam em suas dependências de tudo aquilo que não vem do Amor. Passei a acompanhar alguns irmãos encarnados, sempre tentando comunicação, mas muitos se deixavam ainda levar pelas suas fraquezas, para mim era difícil aceitar o caminho que escolhiam, mas também aprendi que todos temos o livre arbítrio.

De tempos em tempos enviamos mensagens aos irmãos terrenos, tentando lhes fazer compreender a grandeza do Amor. Havia dito no início dessa mensagem, que vocês se deixam levar pelas facilidades da modernidade e esquecem A Essência que há em cada um. Irmãos, tenho acompanhado muitos de vocês desolados com a espiritualidade, sem compreender que seus irmãos que vos machucam, não tem ainda o conhecimento, a sabedoria que há dentro de vós, o Pai disse:

- Chore, pois a dor foi Sagrada no Jardim das Oliveiras, os anjos consoladores virão enxugar suas lágrimas.

O abraço sincero, a palavra amiga, um ombro para aquele que chora, a mão para levantar aquele que está no chão, são simples gestos que pode sim Mudar toda uma humanidade, ter compaixão pelo irmão que sofre, aquele que não precisa somente de uma moeda e sim da presença do irmão que se importa e pergunte como foi seu dia, o que precisa, como posso te ajudar? Muitos têm se deixado levar pela vaidade, querem ser comandantes, querem ser melhores em seus trabalhos que chamam de caridade, de pé no chão, quando muitos ainda vivem de ego, de animismo, se achando sempre com razão, deixando de lado a verdadeira humildade que vem do coração e do amor.

É momento de olhar ao seu redor, de ver quantos realmente ajudaste Sem interesse, quantos são os seus amigos, e estiveram ao seu lado nas horas de dor. E se perguntar:

-Será que estou no caminho que Jesus ensinou ? Será que o Pai morreu na cruz por mim e hoje estou fazendo por merecer todo aquele sofrimento? Será que as palavras que saem de mim ao voltarem ao seu ponto de partida acolheram ou irão me ferir como um punhal?

Estamos todos aqui para aprender através das dificuldades, nenhum caminho é só de flores. Não vamos deixar que o ego, a mágoa, a inveja, a fofoca, o orgulho, impulsionem as suas vidas. Vamos ser regidos por e com Amor. Com o tempo muitas das palavras, das atitudes, dos gestos, serão mais facilmente compreendidas, perdoados e levaremos dentro de nós somente aquilo que for realmente necessário para a vida no outro plano e crescimento nesse em que se encontram.

Estarei vos orientando a cada provação, mas precisam compreender que não é possível mudar o curso do Rio... assim são as atitudes que tomam, após magoarem, não esperem um abraço, tenham humildade para pedir perdão e o abraço virá através do Amor.

Chegará o dia em que os irmãos Não irão mais precisar ser denominados em diferentes Vertentes da espiritualidade e todos serão um só.

Fiquem na paz de Jesus.

Monsenhor Callevari
23/11/2016

Thays Cristina Bedene

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Mensagem de Pai Inácio aos filhos de Umbanda (Alerta sobre os novos tempos)


Deus seja louvado! Para sempre seja louvado o nome do Senhor!

Filhos amados de Umbanda,
Pela graça Divina me foi permitida essa breve visita.
Hoje faço parte de uma grande falange engajada no processo evolutivo do planeta Terra, grupo esse diretamente ligado ao Cristo Planetário, ao amor do grande coração de nosso Mestre Jesus Cristo Oxalá e de Maria Mãe Santíssima.
Isso significa que esse “velho” está um pouquinho mais maduro e preparado para assumir um bocadinho mais de responsabilidade na seara do Mestre da Paz, do Senhor dessa Terra, Cordeiro amado que a Virgem Maria ilumina.
Eterno Servo desse Mestre sigo, com meus irmãos, a missão que o Pai nos confiou por amor, graça e misericórdia.
Temos muito trabalho, a Terra geme diante da egrégora que os encarnados vêm plasmando e a tarefa de limpeza dessa energia requer muito amor, trabalho, dedicação, força, coragem e, para cada uma dessas tarefas existe um grupamento de espíritos especialistas.
Como a Terra reflete parte da vida que acontece do lado de cá, vemos, com tristeza, os cárceres sendo a cada dia mais lotados de vidas humanas encarnadas e desencarnadas que não estão perdidas, mas sim momentaneamente distanciadas do amor do Pai por sua livre vontade.
Todo esse processo de limpeza, resgate, encaminhamento, prisão, faz parte da grande mudança que ocorrerá no planeta e que já dá seus sinais. Muitos têm a sensação de estarem perdidos no tempo ou que as horas de seus dias passam mais velozes e isso é certo, faz sentido a sensação, a Terra está girando em outro ritmo e sua velocidade está sim alterada por conta da grande transformação.
Quanto ao movimento de Umbanda no Brasil, o que posso lhes dizer é que o tempo da cegueira espiritual está chegando ao fim. Um ciclo está sendo encerrado e um novo tempo vem surgindo.

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Interpretação de Pontos Cantados



Interpretação de Pontos Cantados
Por Brito Irmão

Este é um “Ensaio” sobre a interpretação de alguns “Pontos Cantados” da Tenda
Espírita Nossa Senhora da Piedade
Estudo e interpretação livre realizado pelo amigo, irmão e aluno Brito Irmão, em Abril
de 2006, à partir dos estudos de Teologia de Umbanda Sagrada
Pontos Cantados
Os pontos cantados trazem revelações importantes, em frases que aparentemente só
estariam ali para compor rimas. O Mistério Caboclo é o mais revelador destes detalhes e
aponta de forma mais direta para as hierarquias de origem; já os pontos cantados dos Pretos Velhos, são mais ocultadores, porque usam termos de origem africana que não são
inteligíveis por quem não conhece esses idiomas. Podemos ainda classificar os pontos como
identificadores e louvadores. Nos pontos de louvação a identificação se dá com a linha de
forças e com Oxalá. Nos pontos identificadores, identificamos a atuação de mistérios
específicos.
Vamos tentado retirar de alguns pontos que nos dão pistas identificadoras, os nosso
comentários a seguir.

Ponto de Pai Antonio

Temos afirmações importantes ao longo do ponto:
"Se a doença for feitiço, bula lá no seu Gongá" - se for magia negra, use a força dos
Mistérios do seu assentamento - O Gongá.
"Se a doença for de Deus, ai Pai Antonio vai curar"- doença que vem de Deus é a
cobrança da Lei Divina e Pai Antonio vai curar com a Doutrina.
"Coitado de Pai Antonio, Preto Velho curandô" - é o curador de almas, Mistério do
Sagrado Pai Obaluaê.
"Pai Antonio é quimbanda, é ..." - indica que trabalha com os Mistérios da esquerda.
"E Pai de mesa, é ..." - tem ordens e direitos para sustentar um terreiro.
Os Três Caboclos
Esse é um belo ponto e nos dá algumas dicas; vejam:
"Sete Montanhas gira, quando a noite vai chegar" - O Senhor Caboclo Sete Montanhas é
um Mistério de Xangô da Justiça; as Sete Montanhas indicam que ele se relaciona no mesmo
nível com todos aqueles que estão no alto, no topo das suas Linhas de Força - Ogum de Lei -
a Lei Pura; Oxóssi Mata Virgem - O Conhecimento Puro; Oxum do Amor - O Amor Puro; etc...
A expressão "quando a noite vai chegar" revela o horário de início da atuação deste Mistério
- 18:00 h.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

OS NOMES SIMBÓLICOS DOS GUIAS DE UMBANDA





OS NOMES SIMBÓLICOS DOS GUIAS DE UMBANDA
Pesquisa Realizada por Maria de Fátima Gonçalves

Base de pesquisa “Teologia de Umbanda Sagrada” e “TRATADO GERAL DE UMBANDA”,
autor: Rubens Saraceni, Editora Madras

INTRODUÇÃO- O QUE É MISTÉRIO

Cada Guia Espiritual de Umbanda Sagrada é um iniciado no Mistério que seu nome
simboliza ou oculta.
Mistério é algo que em si mesmo traz as condições de realizar-se. Está em tudo e em
todos, como faculdade e poder ativos ou em estado potencial.
Um mistério está no princípio, no meio e no fim de tudo e de todos. Em algumas coisas,
está como qualidade intrínseca. Em outras está como qualidade extrínseca. Mas em todas as coisas está presente, ainda que não possamos identificar sua presença em nível material.
Mistério é algo que está em Deus e no que Ele criou, gerou e emanou. É algo que está
no Criador como uma de Suas faculdades e está na Sua Criação como Sua qualidade.
Exemplo: o Mistério direcionador: Em Deus, tudo é direcionado e tudo o que Ele gera
traz em si o sentido ou o senso de direção.
Por direção, entendam o caminho a ser seguido ou a ser percorrido por algo ou alguém
até alcançar seu ápice, quando se cristaliza e se torna em si mesmo parte estável da Criação.
Nós, ao sermos criados por Deus, fomos direcionados e dotados de um sentido de
direção, assim como nossa criação tem um sentido no conjunto das coisas criadas por Ele.
O sentido de direção tem nos guiado desde o instante em que fomos gerados, e a nossa
evolução contínua está nos levando a um processo de cristalização que, ao ser completado,
nos tornará em nós mesmos parte permanente e indispensável da Criação, ainda que no nosso atual estágio evolutivo não atinemos com o que nos aguarda mais à frente e que nos tornará naquilo que Deus pensou e nos direcionou.
Sabemos que estamos trilhando um caminho evolucionista. Mas para onde ele nos
conduzirá só o nosso divino Criador sabe exatamente.
Mas que há um direcionamento em nossa evolução, isto há, e que ninguém duvide, pois
ele está em nós mesmos e a nossa consciência tem nos indicado quando estamos trilhando o caminho certo ou o errado.
Nós temos consciência de que acertamos ou erramos; do que é bom ou ruim; do que é
nobre e do que é desprezível.
Enfim, a nossa consciência está nos direcionando e temos em nós o senso de direção no
atual estágio evolutivo em que nos encontramos.
- Resumidamente, Mistério é isso.

CHAVES INTERPRETATIVAS DOS NOMES DOS GUIAS

sábado, 10 de setembro de 2016

Clara e Fernando ( Romance mediúnico )

Clara e Fernando


(Quando a Guerra Acabar)

primeiro romance mediúnico psicografado por Annapon ditado pelo espirito Nicolau




SINÓPSE DA OBRA CLARA E FERNANDO
Romance mediúnico transmitido pelo espírito Nicolau.

Fernando é filho único de um casal problemático.
Assim que veio ao mundo, Fernando foi imediatamente rejeitado por seu pai que, ao tomá-lo nos braços pela primeira vez, se sentiu desconfortável com a presença do recém-nascido.
Helena, sua mãe, só veio a conhecer este desconforto que Carlos, seu marido, sentia pelo filho, anos mais tarde. Ela atribuía à profissão de Carlos o fato de ele ser sempre muito rígido, ausente e distante de Fernando.
Carlos era militar e a vida profissional o privava de maior convívio com a família. Helena, diante da situação, passa boa parte de sua vida se dedicando exclusivamente ao filho até que o desconforto inicial de Carlos por Fernando passa a ser intolerância culminando este sentimento na separação do casal.
Fernando se sente culpado e, de alguma forma, tenta sanar o mal que pensava ter causado aos pais decidindo também ele por seguir a carreira militar, dedicando-se totalmente a este objetivo até conhecer Clara e por ela se apaixonar.
O romance do filho abala Helena profundamente e, a partir daí, fatos se sucedem nos quais o ciúme da mãe, antes não manifestado, eclode como fosse algo já há muito conhecido e poderoso.
Helena tenta de todas as formas separar seu filho da mulher amada armando as mais vis e desumanas ciladas para a moça até que ela própria se torne vitima de seus atos vindo a adoecer seriamente.
A espiritualidade amiga atua no romance através da mediunidade de alguns personagens, como por exemplo: a avó paterna de Fernando, o médico que passa a cuidar da saúde de sua mãe, etc.
Carmas individuais e coletivos compõem a estória, uma vez que a mesma se passa na época da guerra do Vietnã. Guerra na qual os personagens principais, pai e filho, lutam juntos e, ali, em meio a condições hostis e violentas, descobrem o valor dos laços que os unem.
Resgates espirituais e responsabilidades presentes, as escolhas que todos temos a chance de fazer e as conseqüências destas mesmas escolhas são ensinamentos que esta estória traz consigo.
A vida em sua infinita continuidade através das reencarnações é o tema principal deste romance que conta ainda com muita emoção.



Índice

─ FERNANDO E SEUS PAIS –
─ AS ARMAS ─
─ O TORNEIO –
─ A SEPARAÇÃO DE HELENA E CARLOS –
─ UMA CONVERSA –
─ FERNANDO E CLARA -
─ REAPROXIMAÇÃO -
─ O DESENCARNE DE OTÁVIO -
─ ESCLARECIMENTOS-
─ A COMUNICAÇÃO DE OTÁVIO -
─ A TRAMA DE HELENA -
─ O VIETNÃ -
─ UMA VITÓRIA -
─ UMA NOVA CHANCE -
─ O DESCONTROLE DE HELENA -
─ A CONVOCAÇÃO -
─ O VIETNÃ E CARLOS -
─ MÁRIO -
─ UM PLANO CRUEL -
─ A DOENÇA DE HELENA -
─ A GRADUAÇÃO DE FERNANDO -
─ FERNANDO NO VIETNÃ -
─ A GRAVIDEZ DE CLARA -
─ CONFRONTO FATAL -
─ LEONARDO -
─ APÓS A MORTE -





Era um jovem cheio de esperanças e medos. Filho de pais separados e infelizes.
As armas chegaram-lhe cedo às mãos, ofertadas por seu próprio pai, um oficial do exército.
Seus pais chegaram à separação por conta de profundos choques e mágoas diárias causadas pela intolerância e incompreensão.

Apesar de sua aparente serenidade, Helena, como a maior parte dos seres humanos, tinha arestas a serem aparadas.
Não conseguia aceitar a posição do marido, oficial linha dura, odiado e temido por muitos jovens.
Discernir era difícil, o que era justo? O que era necessário? Seria a violência o melhor caminho? Ou a serenidade traria melhores resultados.
A mente do jovem vagava confusa.

A hora era chegada. Teria de apresentar-se às armas já que seguira os passos do pai e tornara-se sargento em detrimento à vontade da mãe.
O medo. Ele voltou. A insegurança. Esta nunca o havia deixado.
Por quê? Qual era o motivo?
Acreditava ser forte e capaz, acreditava tudo poder. Seus pedidos eram ordens  mas, onde estava a ordem das coisas neste momento?.
Nosso pobre rapaz não sabia. Debatia-se noite e dia, temendo enfrentar o dia, o dia da batalha, ou seria o dia da guerra?.

Helena seguia sua vida, tentando enfrentar seu maior medo. O dia que levaria o filho ao ápice de sua criação quase violenta. O dia no qual o rapaz teria de partir. Partir para a guerra.

Fernando, filho único de uma união mal sucedida sentia-se confuso e debilitado. Em vão procurou aconchego ao lado do pai que, excitado, dava-lhe instruções de procedimentos de guerra. Não demonstrando nenhuma preocupação quanto ao bem estar do filho. Qual fosse ele próprio, criava situações, matava, corria, tornava a matar. Derrotava, era condecorado. Era o máximo.

Fernando  passou a refletir. Por quê? Qual era o motivo pelo qual ele teria de matar ou morrer solitário em um campo de batalha frio e desconhecido?
Qual era o sentido disso tudo?.
As respostas viriam doloridas, mas, viriam.



terça-feira, 23 de agosto de 2016

É necessário estudar a Umbanda?






Olá!
Certamente muitos de nós já ouvimos dizer que o estudo acerca da Umbanda é desnecessário, que mais vale a pratica, a caridade em ação, que Umbanda se aprende no chão do terreiro, no convívio com as entidades, etc e tal.
Concordo com tudo isso, porém, discordo que o estudo seja desnecessário, muito pelo contrário, o estudo, o conhecimento teórico, na minha opinião, ampliam a possibilidade de auxilio, concedem ao estudioso, uma ferramenta a mais para que as entidades utilizem em beneficio de todos e do próprio médium.
Existem, porém, pessoas que sentem dificuldade em ler, em se concentrar numa leitura e isto deve ser respeitado. Como, então, essa pessoa poderá ter acesso ao estudo? A resposta é simples: Através de palestras, bate papos descontraídos, assim se aprende e muito também. 
Sabemos que a maioria dos terreiros não reserva um horário/dia para tal pratica e isso acaba fazendo falta para aquele que não tem acesso fácil à internet ou dificuldade de concentração para a leitura, ou, até mesmo dificuldade financeira que o impossibilita de adquirir livros. Nesses casos o médium faz o que pode, trabalha e procura aprender trabalhando, mas sempre, de alguma forma, estará em desvantagem em relação àquele que estuda ampliando o leque de possibilidades para as próprias entidades.
Apesar da velocidade que hoje tem a informação, muitos médiuns, principalmente de Umbanda, não conseguem acompanhar esse ritmo, nem mesmo selecionar as informações disponíveis, mesmo porque sabemos que nem tudo que está na rede é bom ou verdadeiro. É preciso muito cuidado com a informação e um profundo discernimento para separar o que nos serve e o que não.
Estudar a Umbanda, conhecer sua origem, compreender sua diversidade e principalmente o ritual aplicado no terreiro que se frequenta é fundamental para que o médium sinta segurança em si e na casa que escolheu para trabalhar respeitando o culto praticado em outros terreiros e, por fim, compreendendo que existem muitas Umbandas dentro da Umbanda sendo praticadas no Brasil e em alguns países estrangeiros.
Pensar que só é Umbanda aquela praticada no terreiro que se frequenta ou trabalha é ingenuidade. Temos uma enorme variação de casa para casa e, sem estudar, sem ouvir tais explicações, a pessoa se fecha em seu pequeno mundo, quando, na verdade pode ter um potencial imenso sendo represado pela dificuldade de bom acesso à informação.

domingo, 24 de abril de 2016

A visão espírita da epilepsia



Na Bíblia, encontramos a passagem do “menino epiléptico”, narrada por Mateus (17: 14 a 19), na qual Jesus, “tendo ameaçado o demônio, fez com que ele saísse da criança, que foi curada no mesmo instante”. No livro A Gênese, Allan Kardec explica que a “imensa superioridade do Cristo lhe dava tal autoridade sobre os espíritos imperfeitos, chamados então de demônios, que lhe bastava ordenar que se retirassem para que não pudessem resistir a essa injunção”.
Para nós, espíritos em aprendizado, fazer uma desobsessão é mais complexo. Precisamos ter uma ajuda espiritual e muito carinho com nossos semelhantes, pois o verdugo de hoje foi vítima ontem. Para sabermos se o problema é um processo obsessivo ou carma, devemos analisar os tipos de reencarnação: expiação, provação e missão. A expiação é o resgate, por meio da dor, de erros cometidos em outras existências. Pela provação, temos provas voluntariamente solicitadas pelo espírito, as quais, se bem suportadas, resultarão em seu progresso espiritual. A missão é a realização de qualquer tarefa, de pequena ou grande relevância. A Terra pertence à categoria dos mundos de expiação e provas.
A medicina descreve uma crise epiléptica como uma desordem cerebral, causada por descarga elétrica anormal, excessiva e transitória das células nervosas, decorrente de correntes elétricas que são fruto da movimentação iônica através da membrana celular. Existem diversos tipos de crises, como parciais, parciais e completas, generalizadas e tônico-clônicas.
Causas da epilepsia
As causas da epilepsia podem ser desde uma lesão na cabeça como um parto à fórceps. O uso abusivo de álcool e drogas, além de outras doenças neurológicas, também podem gerar a doença. Na maioria dos casos, entretanto, desconhece-se as causas que lhe dão origem. Muitas vezes, o paciente tem as convulsões e os exames realizados dão resultados normais. Divaldo Pereira Franco, no livro Grilhões Partidos, afirma que “mesmo nesses casos, temos que levar em conta os fatores cármicos incidentes para imporem ao devedor o precioso reajuste com as leis divinas, utilizando-se do recurso da enfermidade-resgate, expiação purgadora de elevado benefício para todos nós”.
Vale ressaltar que a medicina terrestre evoluiu, não só porque conta com a cirurgia, que é usada quando o resultado da medicação não foi satisfatório e o médico avalia as possibilidades de sucesso cirúrgico, mas por que os médicos têm se preocupado em adaptar o paciente à vida social e familiar, além da reabilitação aos estudos. Muitas vezes, envolvem vários profissionais de diversas áreas, como psicólogos, terapeutas etc., elucidando o paciente e sua família sobre a importância do uso dos remédios e o apoio dos pais nesta caminhada. Estes, inclusive, com receio das crises epilépticas, acabam dando uma superproteção ao filho, temendo que ele se machuque. Essa proteção é normal, mas deixa o epiléptico dependente dos genitores, tornando-o uma criança isolada e fechada.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Duvidas frequentes sobre Exu (questionário) Por Annapon




Duvidas frequentes sobre Exu (questionário)
Por Annapon

P: Na umbanda se diz que Exu foi criado antes dos outros seres, o que isso quer dizer?

 R: Exu é mensageiro dos Orixás, é aquele que se movimenta em todos os planos e sub planos. Diz a lenda africana, que Exu foi criado antes de tudo e de todos, pois ele representa o vazio que posteriormente Oxalá preencheu e essa é uma lenda do Candomblé que foi, de certa forma, adequada à Umbanda.
P: Como poderia ser da forma Acima, se todos foram criados simples e ignorantes e se os anjos e santos, por exemplo, somente se tornaram seres de luz, após muitas jornadas? Em tese, não fomos todos criados exatamente da mesma forma?

R:
Não confundir a criação dos Orixás com a criação do ser humano. Orixás são vibrações/virtudes exteriores de Deus, são Sua própria manifestação e Exu é uma delas, pois é um Orixá, mas, os espíritos que incorporam como Exus são seres em evolução assim como todos nós, humanos.

P: Procede a informação de que sem Exu não se faz nada?

R: A afirmação umbandista: “Sem Exu não se faz nada”, significa que, ritualisticamente e magisticamente, ao abrir-se uma gira de Umbanda, Exu é saudado primeiro, pois ele é a segurança da gira em todos os sentidos, é ele quem abre e fecha portais, quem dá estabilidade ao trabalho, é o grupo de Exus que faz o cordão de proteção no terreiro e no seu entorno, é ele quem encaminha àqueles que não necessitam passar pela gira, Exu traz e leva espíritos encarnados e desencarnados, é quem observa e garante o bem estar de todos. Exu barra os mal intencionados e aplica a Lei a todos que mereçam ou necessitem não confundir, porém, tal afirmação, com o cotidiano do médium onde o livre arbítrio garantirá uma mediunidade saudável ou não, ou seja, Exu não está presente o tempo todo nos processos da encarnação atual das pessoas, mas sim quando e onde pode, ou deve atuar.

P: As entidades que trabalham na vibração de Exu sempre trabalham na esquerda?

R: Existem espíritos que trabalham na esquerda, vibração de Exu, e ao mesmo tempo na direita, entenda-se esquerda como emocional e direita como racional, um exemplo é nosso querido e muito conhecido Zé Pelintra.

P: É indispensável o uso do álcool e do fumo no trabalho de Exu?

R: O uso do fumo e do álcool pelas entidades pode ser dispensável e substituído por outros meios energéticos similares, porém, quem define o material a ser usado é sempre a entidade. O álcool serve como anticéptico e o fumo como diluidor de energias deletérias, por exemplo.

sábado, 9 de janeiro de 2016

Laroyê Exu! Exu, é Mojubá!




Não vamos chover no molhado para falar de Exu.
Terror dos mal informados, Exu trabalha e não se importa com as bobagens ditas sobre ele na Terra.
Existe um Orixá Exu maior, comandante de todos os Exus trabalhadores na face da Terra e fora dela, pois, este é um pequeno mundo, mundinho mesmo. Muito além existe mais vida, mais formas, comunicações, etc e tal.
Dizer que Exu é Lei, energia que dá vigor, que concede a abertura dos caminhos dos viventes é enxergá-lo com miopia. Com uma boa lente se poderá ver melhor e, com uma lupa, ainda mais e assim vai. 
Cabeça aberta e olhos atentos, assim se pode ver mais e além.
Pelos becos e vales astrais, Exu comanda seu exercito pronto a resgatar o que se encontra já sem forças. Estende sua mão amiga e o encaminha para vales melhores onde, se quiser, encontrará a cura e seus caminhos, por si só, se abrirão a sua frente como um leque de possibilidades.
Exu não está a serviço do homem, ele está a serviço do Criador e responde ao mestre dessa humanidade terrena, Jesus.
Sua tão famosa gargalhada não ri de nada, apenas ajusta e prepara o "terreno" à sua manifestação, gargalhada mesmo ele dá quando ouve sujeitos mimados usando seu nome, se valendo de sua força para ameaçar, amedrontar os outros.
Pobres sujeitos, mal sabem que agindo assim simplesmente denigrem a própria imagem, pois a Exu a imagem não importa, o que importa e vale é só trabalho, disciplina, concentração, amor e fé no coração.
Exu não pertence a nenhum ser encarnado, não é propriedade de médium nenhum. Ajuda sempre quando é convocado pela espiritualidade superior na hierarquia astral, seja na Lei de Umbanda ou não.
Exu caminha junto do homem comum, do trabalhador que sai cedo de seu lar a fim de ganhar seu sustento, acredite o sujeito ou não, mesmo porque Exu não precisa que acreditem nele, Exu não precisa de nada desse mundo, só ele sabe das suas necessidades, pois só ele responde pelo trabalho que faz diante da Lei Maior e do Pai Criador.
Exu não barganha, ele se levanta e simplesmente vai trabalhar, pois sua moeda não é daqui desta Terra, portanto, se tiver de pedir algo a Exu peça, mas pense bem antes, reveja valores, posturas, desejos e vontades, mesmo porque, caso seu pedido seja maldoso, Exu já virou a mesa com você junto e seu tiro pode sair pela culatra, cuidado.
É só nesse sentido que Exu é "perigoso", prá quem pensa que pode tudo, que a espiritualidade é sua serviçal, esse sim recebe da mão forte de Exu sua paga antes do raiar do próximo dia.
Médiuns medíocres creem que Exu assina embaixo de todas as suas trapalhadas e excessos, ledo engano. Exu não dorme e por isso mesmo gira em todas as direções captando todos os pensamentos, ações e reações de seus tutelados.
Exu dá muitas gargalhadas quando ouve médiuns melindrados ameaçando outros tantos incautos, é mais ou menos como uma criança medrosa e sem força que precisa ameaçar as outras a fim de se safar ou da piada ou da surra, nesse momento, a tal criança/médium medrosa lança mão: "Quem me cuida nunca dorme" e outra: "Cuidado, meu Exu vai te pegar".
Médiuns que não saíram do jardim de infância procedem assim e alguns se amedrontam mesmo, outros não estão nem ai e fazem muito bem de não darem ouvidos à ameaças infundadas, mesmo porque Exu não compactua com erros, nem tampouco serve à médiuns vaidosos 24 horas por dia, isso é um tremendo engano, uma ilusão absurda, sem tamanho!
Conheça Exu, só depois disso se habilite a servir de instrumento à sua manifestação que é sempre pelo bem, no bem e na Luz, muito embora alguns não consigam compreender isto.
Exu não se importa de não ser compreendido nem de ser usado como escudo, Exu só se importa com trabalho, com o que o fortaleça na Luz e na ascensão a planos mais altos e isto não é ganancia nem vaidade, antes sim é o fruto do trabalho honesto que todos podem colher por merecimento, por terem levado a cabo boas obras.
Exu não exige fantasias, não precisa de adereços para trabalhar, pouca coisa material já é suficiente, pois seu poder de intervenção é magia, força que ele mesmo traz pelo conhecimento que adquiriu seja de cura, proteção, quebra de ilusões também chamadas feitiços, portanto, seja vestido a caráter ou não, o médium sob sua influencia irá executar o trabalho ao qual foi convocado sempre pelo bem, todo e qualquer espírito que não trabalhe no bem e pelo bem não pode ser chamado de Exu, muito embora muitos o façam. Cabe apenas e tão somente a quem busca pela ajuda dessas entidades avaliar, mesmo porque existem muitos Joões e Josés, alguns bons, outros nem tanto e outros ainda cruéis, ou seja, se não comungamos com o mal, não podemos ser amigos coniventes do José cruel.
E assim é com Exu. 
Que fique claro: Exu, na Lei de Umbanda serve ao bem e não existe essa história de que ele faça o mal também.
Exu jamais ajuda um para prejudicar outro, Exu avalia a situação e, no mais das vezes, se não for pelo bem comum, não atua simplesmente, pois Exu respeita a coletividade, o livre arbítrio das pessoas, as Leis de ação/reação e outras tantas criadas pelo Pai Maior.
Não se iluda, Exu não protege quem se expõe por livre vontade, não comunga com ideais mesquinhos, com infantilidades, não beneficia a quem não se ajuda, não dá ouro a quem passa os dias sentado pensando na riqueza dos outros sem dar um passo em busca de trabalho que seja seu ganha pão, Exu não promove discórdias nem admite situações extremas de ciume, antes sim orienta sempre que excessos são cargas nocivas dispensáveis a qualquer um. Ele não faz trocas, exigências, não pede que se curvem aos seus pés nem tampouco que o bajulem, não incentiva derramamento de sangue animal.
Exu só trabalha, nada pede em troca que não seja fé, foco no caminho do bem de seus tutelados, estudo, clareza de ideais, pureza de coração, paciência com aqueles que ainda estão na retaguarda sem enxergar a Luz, conforto a quem sofre, pão a quem tem fome, trabalho digno dentro da Lei de Justiça, com muita verdade e boa disposição para servir.
Esses são os valores de Exu, isso é o que Exu quer em troca, um bom coração e honestidade nas lidas da vida.
Quer oferendar Exu? Oferende, seja simples, verdadeiro em suas intenções e certamente sua Luz amiga e sua mão forte o guiarão para o que seja melhor.
Não se exceda em mimos, lembre-se que Exu lhe vê por dentro e nada que venha de fora o conquista, por isso analise suas intenções antes de oferecer qualquer coisa.
Exu não alimenta caprichos, não dá ao que se julga esperto, não concede nenhuma ajuda a quem quer que seja que em seu intimo alimente a ganancia, a sede de poder. Ele não abre caminhos em estrada mal cuidada.
Exu fortalece o fraco, guia o cego de alma, incentiva o trabalho honesto, tira da lama o desesperado que já se arrependeu pelos maus passos, livra da bala perdida quando assim deve ser, aponta a via larga quando a gente quer entrar numa viela escura.
Exu ensina, é professor, amigo leal que nos diz sempre a verdade, é quem nos tira do marasmo, do lugar comum para que possamos alargar nossos horizontes na vida, ele nos inspira coragem, força para os embates sem jamais perdermos de vista a humildade e o dever de não fazermos aos outros aquilo que não queremos para nós.
Exu cura, alimenta, organiza, direciona, arrebenta as correntes das prisões mentais muitas vezes criadas por nós mesmos, ele nos dá a liberdade desde que estejamos prontos para recebe-la, desde que a liberdade não seja um mal ainda maior para nós.
Ele tem bom vocabulário, é educado, divertido para falar verdades, palavrões, gestos mal educados ou grosseiros são atributos de médiuns sem preparo e educação que não representam, de forma alguma, um Exu Guardião ou de qualquer outra categoria na escala da hierarquia da Lei Maior de Umbanda.
Se por um acaso você se consultar com um "Exu" e ele despejar em seus ouvidos palavras de baixo calão, saia de "fininho" e procure outra casa, ou ainda, faça melhor, caso confie no Dirigente dessa casa, leve até ele o caso, será um favor prestado.
Há muito a desmistificar acerca de Exu, o tempo se encarregará, enquanto isso ele segue trabalhando e nós, médiuns que buscamos a evolução pelas Leis do Amor e da fé, seguimos com eles, sempre agradecendo por sua amizade, pela intervenção oportuna, pelos tantos ensinamentos, pela força que nos inspira e pela Luz que nos abriga e aparta do mal tanto quanto conservemos saudável o nosso coração, o nosso pensamento, tanto quanto busquemos identificar os nossos erros sem apontar os deslizes dos outros.
Quanto mais trabalhamos na identificação de nós mesmos tentando corrigir nossos erros, buscando purificar nossos sentimentos, ações e reações, melhores médiuns seremos, mais condições daremos à espiritualidade para que nos "use" como instrumentos de suas vozes amigas e benfeitoras.
O auto conhecimento é o caminho para a cura, para a liberdade, é o que nos habilita a ajudar aos outros, é a transparência que os espíritos esperam de nós para que juntos e unidos pela fé e pela amizade, possamos seguir cumprindo a missão sublime e sagrada que o Pai nos confiou, por amor, por bondade e por sua infinita Misericórdia.
É isso que Exu quer em troca: trabalho, fé, humildade, serenidade, estudo, força, coragem, muito amor e paz em nossos corações, os materiais de trabalho são meros coadjuvantes, são importantes, são bem vindos, porém estão em segundo plano.

"Quando no céu a lua branca surgir e uma boa gargalhada você ouvir, não se assuste, não se espante, é só Exu se preparando para servir, girando o mundo, em todos os recantos onde haja aflição, injustiça e dor, lá estarei, lá estou, sou Gira Mundo, Guardião da Justiça de Xangô, Guardião a serviço do Criador e do Mestre dessa Terra, Nosso Senhor Jesus".

Annapon

Texto inspirado por Sr. Gira Mundo, meu pai, gratidão!

Laroyê Exu! Exu, é Mojubá!

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Para Erica



Tem gente que passa pela vida da gente sem jamais ir embora.
Essa é uma breve história sobre alguém que conheci na juventude.
Era só uma menina, franzina, risonha, desconfiada sempre. 
Usava uma enorme mochila presa às costas, desproporcional para seu tamanho, mas ela não se importava, perfumada e toda bela em sua infância, ela ia feliz e satisfeita, com a enorme mochila, rumo à escola.
Do portão de sua casa, eu e sua mãe, a observávamos e sempre riamos da situação da pequena menina que sustentava, tal gente grande, uma mochila enorme sem reclamar ou demonstrar desconforto, era engraçado, é claro!
Algumas noites passei ao seu lado e, nessas horas noturnas, ela gostava de ouvir estórias, li com satisfação, algumas para ela que nunca, jamais dormia, antes sim mais desperta ainda ficava por conta do interesse pela estória.
Essa menina gostava mesmo era de rir, aproveitar a vida, conhecer novos lugares e pessoas apesar da tenra idade.
Alguns natais passamos a rir muito de tudo e de todos, às vezes, sem motivo, começávamos a gargalhar, chorar de rir, tudo era motivo de riso ao seu lado. Bons tempos!
Posso dizer que a vi crescer, participei de alguns momentos importantes de sua vida.
Vi muito riso em seu rosto, vi lágrimas também, expressões de raiva, frustração, dor, mas tudo isso compõe a grande orquestra da vida de todos nós, porém, só participamos desses momentos da vida do outro caso seja alguém especial que nos convidou a fazer parte de todos esses instantes.
É muito bom ter alguém assim na vida da gente, alguém que conhecemos ainda criança e, ao longo dos anos, jamais se esquece da gente, isto é ouro, é prata, é joia de extremo valor para a alma, pedra rara que jamais perde o brilho.
Hoje vejo seu sorriso, sua alegria nas imagens da tela, porém, essas imagens sempre me remetem àquele tempo que se foi deixando na lembrança a alegria, o privilégio de poder recordar, isso é muito bom!
A menina franzina da imensa mochila, cresceu, se desenvolveu, enfrentou as dores da vida, mas, continua sorrindo lindamente e me querendo bem, eu sei.
Ter a certeza que alguém nos quer bem é muito especial, todos deveriam ter alguém que lhe quisesse bem apesar da distância física e do implacável tempo, todos!
A menina que conheci hoje cedeu lugar à mulher, à mãe, porém, em minha lembrança, continua sendo uma criança sorridente, alegre.
Lembro muito bem ainda como era fácil seu riso e como se encantavam seus olhos quando via algo belo. 
Nem tudo na vida são flores, mas, os momentos que vivi ao lado dela foram de puro encanto. Conservo minha lembrança nos bons momentos, nas horas de alegria e nas incontáveis gargalhadas.
Passeando por essas memórias, a gente se dá conta do quanto é importante a amizade pura, aquela que nada pede nem recebe, só se doa num compartilhar sincero, feliz simplesmente pelo fato de existir.
Os bens materiais que adquirimos ao longo da vida nada são diante dessas lembranças, pois os bens perecem, não riem, não nos amam, nem tampouco têm memória. Estão apenas ali, mudos, frios, testemunhando apenas uma parte de nossa história.
Valorizo muito a amizade mesmo demonstrando pouco, mesmo me distanciando por alguma razão, mas, como não creio que a distância modifique sentimentos, sigo vivendo querendo bem a minha maneira, mas, acredite, sinceramente sempre querendo bem aos que conquistaram meu coração e me deram o privilégio de participar de alguns bons momentos de suas vidas, é o caso dessa menina.
Ao escrever essas palavras, vejo ainda claramente a imagem de seu rosto sorridente, ouço sua voz quase sempre em tom alto atropelando a fala dos outros. A menina além de sorridente é falante!
Rimos sempre muito quando ela, a menina, disparava seu falatório!
E assim é a vida, hoje próximos, amanhã ninguém pode saber, por isso, quando a oportunidade de uma amizade aparecer, agarre sem medo de sofrer, pois tudo faz parte, mas, o que sobrevive é a boa lembrança dos momentos vividos mesmo que, às vezes, não sejam tão bons assim.
Amigos são para todas as horas, afinal, ter vivido para contar essa breve história, é sinal de que não me furtei à amizade nem tampouco a esqueci num canto qualquer da lembrança e do coração.
Algumas vezes não nos damos conta da importância do amigo de hoje que compartilha conosco seus minutos, algumas horas, só mais tarde, quando o tempo passar e a distância enfim tratar de separar o físico, é que vamos entender o valor daquela amizade e dos momentos de riso e dor passados juntos, lado a lado a confidenciar olhares, palavras e emoções.
Um brinde a todos os amigos e à menina da mochila grande que ainda sorri para mim na tela de minha memória e dança, qual bailarina, em meu coração!

Essa é prá você, Erica!
Com afeto,
Annapon



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog