Nesse espaço

Textos psicografados, romance, Umbanda, Espiritismo compõem a tônica do A Alma das Coisas.
By
Annapon ( escritora e blogueira )

A Missão das Quatro Estações

Olá amigos leitores do "A Alma das Coisas"! O blog está com uma novidade, romance mediúnico totalmente gratuito e publicado, ...

terça-feira, 24 de setembro de 2013

IBEJI - ERÊ - CÓSME E DAMIÃO





IBEJI - ERÊ - CÓSME E DAMIÃO


 Existe uma confusão latente entre o Orixá Ibeji e os Erês. 
É evidente que há uma relação, mas não se trata da mesma entidade. Ibeji, são divindades gêmeas, sendo costumeiramente sincretizadas aos santos gêmeos católicos Cosme e Damião. Por serem gêmeos, são associados ao princípio da dualidade; por serem crianças, são ligados a tudo que se inicia e brota: a nascente de um rio, o nascimento dos seres humanos, o germinar das plantas, etc. 
Seus filhos são pessoas com temperamento infantil, jovialmente inconsequente  nunca deixam de ter dentro de si a criança que já foram. 
Costumam ser brincalhonas, sorridentes, irrequietas, tudo enfim que se possa associar ao comportamento típico infantil.
 Muito dependentes nos relacionamentos amorosos e emocionais em geral, podem então revelar-se teimosamente obstinados e possessivos. Ao mesmo tempo, sua leveza perante a vida se revela no seu eterno rosto de criança e no seu modo ágil de se movimentar, sua dificuldade em permanecer muito tempo sentado, extravasando energia. 
Podem apresentar bruscas variações de temperamento, e certa tendência a simplificar as coisas, especialmente em termos emocionais, reduzindo, à vezes, o comportamento complexo das pessoas que estão em torno de si a princípios simplistas como "gosta de mim" ou "não gosta de mim". Isso pode fazer com que se magoem e se decepcionem com certa facilidade. 
Ao mesmo tempo, suas tristezas e sofrimentos tendem a desaparecer com facilidade, sem deixar grandes marcas. Como as crianças em geral, gostam de estar no meio de muita gente, das atividades esportivas, sociais e das festas. 
Crianças na Umbanda Ibeji no Batuque Bêji no Xambá A grande cerimônia dedicada a estes orixás acontece a 27 de setembro, dia de Cosme e Damião, quando comidas como caruru, vatapá, bolinhos, doces, balas (associadas às crianças, portanto) são oferecidas tanto aos orixás como aos frequentadores dos terreiros. Ibeji na nação Keto, ou Nvunji nas nações Angola e Congo. 
É a divindade da brincadeira, da alegria; sua regência está ligada à infância. Ibeji está presente em todos os rituais do Candomblé pois, assim como Exu, se não for bem cuidado pode atrapalhar os trabalhos com suas brincadeiras infantis, desvirtuando a concentração dos membros de uma Casa de Santo. 
É o orixá que rege a alegria, a inocência, a ingenuidade da criança. 
Sua determinação é tomar conta do bebê até a adolescência, independente do orixá que a criança carrega. Ibeji é tudo de bom, belo e puro que existe; uma criança pode nos mostrar seu sorriso, sua alegria, sua felicidade, seu engatinhar, falar, seus olhos brilhantes. Na natureza, a beleza do canto dos pássaros, nas evoluções durante o vôo das aves, na beleza e perfume das flores.
 A criança que temos dentro de nós, as recordações da infância. 
Feche os olhos e lembre-se de uma felicidade, de uma travessura e você estará vivendo ou revivendo uma lenda desse orixá. Pois tudo aquilo de bom que nos aconteceu em nossa infância, foi regido, gerado e administrado por Ibeji. 
Portanto, ele já viveu todas as felicidades e travessuras que todos nós, seres humanos, vivemos. A palavra Eré vem do yorubá, iré, que significa "brincadeira, divertimento". Daí a expressão siré que significa “fazer brincadeiras”. 
O Ere(não confundir com criança que em yorubá é omodé) aparece instantaneamente logo após o transe do orixá, ou seja, o Ere é o intermediário entre o iniciado e o orixá. 
Durante o ritual de iniciação, o Ere é de suma importância pois, é o Ere que muitas das vezes trará as várias mensagens do orixá do recém-iniciado. 
O Ere na verdade é a inconsciência do novo omon-orixá, pois o Ere é o responsável por muita coisa e ritos passados durante o período de reclusão.
 O Ere conhece todas as preocupações do iyawo (filho), também, aí chamado de omon-tú ou “criança-nova”. 
O comportamento do iniciado em estado de “Ere” é mais influenciado por certos aspectos de sua personalidade, que pelo caráter rígido e convencional atribuído a seu orixá. 
Após o ritual do orúko, ou seja, “nome de iyawo” segue-se um novo ritual, ou o reaprendizado das coisas.
 Símbolos: 2 bonecos gêmeos, 2 cabacinhas, brinquedos;
 Plantas: jasmim, maçã, alecrim, rosa
 Dia: domingo e segunda-feira para nações Ketu e Jeju Ijexá; 
Cor:azul , rosa, verde, mas na verdade gosta do colorido em si.
 Metal: estanho. 
Seus elementos: fogo, ar. 
Saudação Beijada! Ou Kao Kabeciele, pois é também um Xangô.
 Domínios: parto e infância. Amor união. 
Comidas: caruru, cocada, cuscuz, frutas doces. 
Animais: passarinhos. 
Quizilas: morte, assobio.
 Características: alegre, otimista, brincalhão, esperto, trabalhador, imaturo, birrento, voraz. O que faz: ajuda a resolver problemas de crianças, dá harmonia na família, facilita uniões. Riscos de saúde: alergias, anginas, problemas de nariz, raquitismo, acidentes. 


................................................................................. AS CRIANÇAS são a alegria que contagia a UMBANDA. Descem nos terreiros simbolizando a PUREZA , a INOCÊNCIA e a SINGELEZA. Seus trabalhos se resumem em brincadeiras e divertimentos. Podemos pedir-lhes ajuda para os nossos filhos,resolução de problemas,fazer confidencias,mexericos,mas nunca para o mal,pois eles não atendem pedidos dessa natureza. 
São espíritos que já estiveram encarnados na terra e que optaram por continuar sua evolução espiritual através da pratica de caridade,incorporando em médiuns nos terreiros de UMBANDA. 
Em sua maioria,foram espíritos que desencarnaram com pouca idade (terrena) por isso trazem características de sua ultima encarnação,como o trejeito e a fala de criança,o gosto por brinquedos e doces.
 Assim como todos os servidores dos ORIXÁS elas também tem funções bem especificas,e a principal delas é a de mensageiro dos ORIXÁS sendo extremamente respeitados pelos caboclos e pretos-velhos É uma falange de espíritos que assumem em forma e modos,a mentalidade infantil.
Como no plano material,também no plano espiritual,a criança não se governa,tem sempre que ser tutelada.
É a unica linha em que a comida de santo(amalas) leva tempero especial(açúcar). 
São conhecidos nos terreiros de Nação e Candomblé,como ERES OU IBEJI. 
Na representação dos pontos riscados,são livres para utilizar o que melhor lhe aprouver. 
A linha de IBEJI é tão independente quanto a linha de Exu. IBEIJADA,ERES,DOIS-DOIS,CRIANÇAS,IBEJIS, são esses vários nomes para essas entidades que apresentam de maneira infantil. 
OS MIRINS
 Existe na Umbanda uma linha de CRIANÇAS NA ESQUERDA, conhecida como EXUS-MIRINS,pouco abordada por autores umbandistas e muito pouco conhecida,sendo tabu para muitos templos que muitas vezes,chegam a duvidar da existência dessas Entidades.
 OS EXUS-MIRINS Não são CRIANÇAS DESENCARNADAS COMUNS,mas sim muitos deles são ENCANTADOS NATURAIS, que estão ligados a TRONOS CÓSMICOS NEGATIVOS delicados de se lidar,entretanto com um podr de realização muito forte e atuante quando utilizado em favor dos que trabalham na luz ou para ela. 
OS EXUS-MIRINS apresentam-se muitas vezes um pouco arredios nota-se a total despreocupação com o perigo,o que os torna as vezes presas fáceis de manipular em algumas situações,no entanto,quando corretamente doutrinados por uma Entidade d esquerda,se mostram excelentes no trabalho junto aos contra-choques do baixo astral que os Exus de Lei frequentemente costumam enfrentar.. 
Uma das chaves para se aproximar da compreensão do mistério EXU-MIRIM,é o respeito absoluto por essas Entidades por mais ESPOLETAS que possam parecer não atravessam os limites de conduta impostas pelos guardiões de luz de um templo. 

.................................................................................. A LENDA DE CÓSME E DAMIÃO

 Cosme e Damião eram irmãos gêmeos e cristãos. Na verdade, não se sabe exatamente se eles eram gêmeos. Mas nasceram na Arábia e viveram na Ásia Menor, Oriente. 
Desde muito jovens, ambos manifestaram um enorme talento para a medicina. 
Estudaram e diplomaram-se na Síria, exercendo a profissão de médico com muita competência e dignidade. Não aceitavam receber um centavo pelo serviço prestado. 
Os irmãos aproveitavam também para divulgar a fé cristã entre aqueles que se recuperavam das doenças. Inspirados pelo Espírito Santo, usavam a fé aliada aos conhecimentos científicos. 
Com isso, seus tratamentos e curas a doentes, muitas vezes à beira da morte, eram vistos como verdadeiros milagres. 
A riqueza que mais os atraía era fazer de sua arte médica também o seu apostolado para a conversão dos pagãos, o que, a cada dia, conseguiam mais e mais. Isso despertou a ira do imperador Diocleciano, implacável perseguidor do povo cristão. 
As perseguições do Imperador Diocleciano, porém, não demoraram a frear a ação benéfica destes "médicos do amor". Na Ásia Menor, o governador deu ordens imediatas para que os dois médicos cristãos fossem presos, acusados de feitiçaria e de usarem meios diabólicos em suas curas. Foram forçados a negar sua fé. Mandou que fossem barbaramente torturados por negarem-se a aceitar os deuses pagãos. Condenados à morte, resistiram milagrosamente a pedradas e flechadas. Em seguida, foram decapitados. O ano não pode ser confirmado, mas com certeza foi no século IV. Os fatos ocorreram em Ciro, cidade vizinha a Antioquia, Síria, onde foram sepultados. Mais tarde, seus corpos foram trasladados para uma igreja dedicada a eles. Quando o imperador Justiniano, por volta do ano 530, ficou gravemente enfermo, deu ordens para que se construísse, em Constantinopla, uma grandiosa igreja em honra dos seus protetores. Mas a fama dos dois correu rápida no Ocidente também, a partir de Roma, com a basílica dedicada a eles, construída, a pedido do papa Félix IV, entre 526 e 530. Tal solenidade ocorreu num dia 26 de setembro; assim, passaram a ser festejados nesta data. Inúmeros milagres se deram na sepultura deles. Os nomes de são Cosme e são Damião, entretanto, são pronunciados infinitas vezes, todos os dias, no mundo inteiro, porque, a partir do século VI, eles foram incluídos no cânone da missa, fechando o elenco dos mártires citados. Os santos Cosme e Damião são venerados como padroeiros dos médicos, dos farmacêuticos e das faculdades de medicina. Na festa, é costume distribuir balas e doces para as crianças. 

................................................................................... ORAÇÃO PARA CÓSME E DAMIÃO

 "São Cosme e Damião, que por amor a Deus e ao próximo vos dedicastes à cura do corpo e da alma de vossos semelhantes, abençoai os médicos e farmacêuticos, medicai o meu corpo na doença e fortalecei a minha alma contra a superstição e todas as práticas do mal. Que vossa inocência e simplicidade acompanhem e protejam todas as nossas crianças. Que a alegria da consciência tranquila  que sempre vos acompanhou, repouse também em meu coração. Que a vossa proteção conserve meu coração simples e sincero, para que sirvam também para mim as palavras de Jesus: "Deixai vir a mim os pequeninos, porque deles é o Reino do Céu". São Cosme e Damião, rogai por nós. Que assim seja !

fonte: http://wwwumbandaonline.blogspot.com.br/2008/05/ibeji-er-csme-e-damio.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog