Nesse espaço

Textos psicografados, romance, Umbanda, Espiritismo compõem a tônica do A Alma das Coisas.
By
Annapon ( escritora e blogueira )

A Missão das Quatro Estações

Olá amigos leitores do "A Alma das Coisas"! O blog está com uma novidade, romance mediúnico totalmente gratuito e publicado, ...

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Aconteceu na casa espírita - obra comentada por Mãe Mônica Caraccio -


Por vezes já mencionei, indiquei, lembrei e relembrei. Em várias ocasiões transcrevi trechos no blog, JUCA (nosso jornal) e todas as vezes que inicio o desenvolvimento do dom mediúnico de uma pessoa, um trabalho espiritual que envolverá muitas ações e situações ou que percebo o motivo do desequilíbrio de um médium, oriento e peço a leitura do livro “Aconteceu na Casa Espírita” psicografado pelo médium Emanuel Cristiano e ditado pelo Espírito Nora – Editora Allan Kardec.
Não quero ser redundante, MAS não tem como negar a importância da obra, a dificuldade das pessoas em entenderem suas responsabilidades, o valor do Bem e a grandeza do Mal. Não tem como negar a falta de memória de muitos médiuns que desvalorizam o plano espiritual (tanto do Alto como do Embaixo) e suas próprias ações dentro das Casas Santas as quais beneficiam tantas e tantas outras pessoas e espíritos… Enfim… Não tenho como não insistir e ainda transcrever mais um trecho:
     -
(…) Júlio César, na condição de chefe, conclamava do centro do largo os obsessores, que circulavam em torno do jardim de pedras, com as seguintes argumentações:
- Avante, amigos, o trabalho nos espera! Não podemos mais perder tempo, é necessário agirmos agora ou, então, o trabalho de anos será perdido.
- Qual é a missão? Perguntou Gonçalves, um dos comparsas imediatos de Júlio César.
- A missão, respondeu o sinistro orador, é de infiltração espiritual! Estamos, de longa data, planejando invasão, domínio e destruição de uma grande Casa Espírita.
Quando o adversário chefe pronunciou estas palavras, extensa turba de espíritos fanáticos correu para junto do perseguidor mestre, ouvindo-o atentamente, enquanto a novidade corria, relampejante, entre os habitantes do estranho “município”.
Verdadeira falange de adversários da bondade se apresentou diante do líder perverso, animando-o na transmissão destas terríveis orientações:
- Tenho aqui o relatório atualizado. E, manuseando desajeitado material, puxou longa lista com estatísticas de trabalhos espíritas, lendo, segundos depois, em voz alta, estes dados: – Somente este ano:
- 2.500 espíritos, que estavam sob nosso comando, foram violentamente arrancados de nós e se converteram ao Nazareno com auxílio da mediunidade falante, do diálogo enganador e da interferência dos emissários do bem;
- Cerca de 3.000 encarnados, que permaneciam sob severos processos obsessivos, tiveram o equilíbrio readquirido, graças à odiosa intervenção das entidades da luz;
- multidões estão encontrando naquela Casa maldita, tranquilidade e conforto espiritual, que para nós são abomináveis;
- mais de 4.000 entrevistas;
- aproximadamente 20.000 vibrações;
- centenas de palestras, transmitindo a doutrina espírita e os ensinos de Jesus, exaltando o bem e o amor.
E ainda tem mais, continuou o expositor das trevas, imprimindo nas palavras raiva e inconformação.
- Mais de 15.000 passes transmitidos, dos quais setenta por cento tiveram efeitos muito positivos sobre as pessoas;
- 200 enfermos, impossibilitados fisicamente de comparecer à instituição, receberam a visita fraterna e a fluido terapia contra a nossa vontade.
E não acaba aí, insistiu o malfeitor completamente admirado: gestantes, crianças, jovens, andarilhos etc. receberam da Casa Espírita o concurso caridoso! Isso sem contar as obras sociais que promovem largamente a criatura humana!
O Centro em questão é um dínamo de benemerência. Se, com a nossa interferência eles produzem assustadoramente, imaginem se deixássemos o caminho livre?
Por isso, é preciso continuarmos, redobrando nossos esforços a fim de acabarmos com essa tolice de caridade, a absurda preocupação com o outro e, acima de tudo, com essa inaceitável proposta de renovação moral, trazida pelo Cristo, que exige demais dos seres humanos.
Recebemos, de nossos superiores, mais de oito mil solicitações, tenho comigo os apontamentos. E, lançando ao vento alguns papéis, continuou irritado: Vejam: requisições de obsessão, memorando solicitando prioridades, inúmeras ordens de serviço não cumpridas e sem contar as infinitas reclamações…
Como vêem, nossa incompetência está declarada!
É preciso estarmos organizados para desestruturarmos a instituição espírita que nos atormenta. Permanecemos desacreditados junto aos nossos superiores e creio que nenhum de nós gostaria de desafiá-los ou desapontá-los. Todos sabemos da ira que nos perseguirá eternamente, se falharmos. Todo cuidado é pouco, advertiu o organizador do mal, se não formos cautelosos, espertos e inteligentes, poderemos cair nas garras dos emissários da luz, que fazem verdadeira lavagem cerebral propondo-nos um bem-estar falso, com o objetivo de escravizar-nos de novo na Terra através da reencarnação!
- E como vamos agir? Perguntou um desordeiro bastante animado. Por acaso, vamos fazer os objetos se movimentarem? Atiraremos pedras contra os eleitos do Senhor? Assassinaremos alguém?
E da turba uma infinidade de sugestões maléficas foram proferidas, entre algazarra e uma pseudo-alegria que envolvia a legião desordeira.
O líder fanático precisou interromper a agitação alertando:
- Não será assim!
Nosso trabalho está dentro de certos limites; leis universais regulam nossa influenciação. E a Casa Espírita, a qual desejamos invadir, dispõe de poderosa proteção espiritual, milhares de espíritos superiores em incessante trabalho no bem, além de entidades sublimes garantindo-lhes extraordinário auxílio!
Nossa atuação, prosseguiu o planejador das sombras, será na surdina. Trabalharemos silenciosamente, ocultamente, no campo dos sentimentos, sugerindo pensamentos, estimulando as irritações, o ciúme, a fofoca, a indignação, os melindres, a disputa de cargos, funções, tarefas etc. Temos aí, um vasto campo de atuação junto às inferioridades humanas. Aproveitaremos as brechas deixadas por muitos trabalhadores. Engraçado é que eles, os encarnados, dizem que, de tempos em tempos, nós, os chamados obsessores, promovemos ondas de influenciação negativa, retirando os “anjinhos” do caminho do bem. Eles é que, de tempos em tempos, abrem brechas, nós apenas aproveitamos os deslizes e descuidos dos “ilustres seguidores de Jesus”. A propósito, continuou o malvado pregador, esse é o único modo de penetrarmos na instituição, a única forma de não sermos barrados pelas correntes protetoras, pois que os mensageiros do bem não podem violar o livre-arbítrio dos adeptos do Cristo. Os Espíritos do mais alto sempre dizem que do mal tiram o bem, que nossa entrada é permitida porque servirá de teste para muitos dos frequentadores e trabalhadores da Casa. Contudo, enquanto elas, as entidades evoluídas, aguardam a aprovação dos seus pupilos, no campo das provas, nós apostamos na reprovação dos tutelados.
(…) A falange das trevas estava magnetizada pelas palavras do mandante!
Quando Júlio César percebeu que já havia estimulado quantos necessitava, para a implantação das suas ideias, entoou este grito de guerra:
- Avante! Para aquela odiosa Casa Espírita, o momento do apocalipse, do acerto de contas, do juízo final e da destruição chegou! Eles próprios se autodestruirão!
Fatos?!?
Verdades?!?
Sim! São trechos que demonstram fatos e verdades que fermentam em nossos terreiros e vida como médium.
Sim! Muito fazemos, propiciamos, provocamos e promovemos em nossos terreiros assentados na Luz, em giras bens giradas e mediunidade bem conduzida. É Grandioso DEMAAAIS…
Sim! Muito incomodamos!!!
Porém, é preciso ter clareza e discernimento, incomodam aqueles que não conseguem enxergar o Bem, que não são capazes de fazer algo Melhor, que menosprezam atos de doação, caridade e bondade, incomodam desencarnados e encarnados. Portanto, vale a leitura, a avaliação dos números, da vida, do passado, presente e futuro. Vale construir valores que beneficiam “Um Todo”, reconhecer as bênçãos recebidas e lutar. Lutar por algo Maior, Melhor e por Nós.
Fica a dica da leitura “Aconteceu na Casa Espírita” capaz de ser lida em uma “sentada só”. Fica, mais uma vez a certeza que estamos sempre passando por situações de provas, expiações e reparações com a intenção de melhoras e evolução de nosso espírito. Fica a afirmação de que necessitamos praticar diariamente a Reforma Íntima tendo como ensinamento básico e fundamental a menção: “Orai e Vigiai” e fica a necessidade de reconhecermos nosso valor perante abençoado trabalho, benefício e oportunidade.
Bom, meu grito é: Chega de autodestruição! Sei o que sou. Faço o que devo e assim, vivo feliz.
E qual é o seu???

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog